A REBELDIA DE SAUL E A REJEIÇÃO DE DEUS

A REBELDIA DE SAUL E A REJEIÇÃO DE DEUS
Lição 6: 10/11/2019
Texto Áureo: “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.”(1 Sm 15.23)
Leitura Bíblica em Classe: 1 Samuel 15.17-28

IntroduçãoNessa lição é abordado o tema sobre a rebelião do Rei Saul, onde podemos aprender sobre exemplos que não devem ser seguidos, pois podem levar o indivíduo a ser rejeitado definitivamente por Deus. Saul foi um rei que atuou com muita bravura na arte da guerra derrotando e debilitando muitos dos inimigos de Israel. Assim vemos que ele tinha algumas virtudes satisfatórias no seu ofício como rei de Israel, mas como ninguém é perfeito, ele tinha também um caráter não sustentável, que no decorrer do tempo esse caráter foi se declinando gradualmente chegando ao ápice, quando desobedeceu a uma ordem de Deus que lhe custou muito caro, pois com o Senhor as coisas são condicionais a obediência. Com isso Deus se ausentou da sua vida e passou a viver perturbado, e mais tarde quando entrou em conflito com Davi, selou assim a sua condenação irreversível. A missão que lhe foi atribuída por Deus era a destruição total dos amalequitas, que deveria ser feita sem complacência lembrando que esse povo foi o mesmo que atacou Israel traiçoeiramente na sua peregrinação no deserto. Essa ordem de destruição era uma vingança divina contra eles, povo esse que estava debaixo de maldição. Na ordem destruição desse povo estava incluída toda vida humana, incluindo homens, mulheres e crianças, com também todos os animais, sendo que nada poderia ser poupado. Saul com o seu exercito conseguiu êxito em ferir os amalequitas impondo a eles uma grande derrota praticamente destruindo a quase todos, só que não deveria ser quase todos e sim a todos eles, porém isso não aconteceu e assim a ordem de Deus foi desobedecida. Quando Israel se envolvia numa guerra santa, não era permitido poupar qualquer tipo de vida, pois isso contrariava as diretrizes impostas por Deus, mas Saul resolveu por sí próprio não cumprir essas diretrizes. Com isso ele poupou Agague, rei dos amalequitas e parte dos despojos preservando o melhor gado contrariando as ordens divinas. Saul na realidade queria ostentar perante o povo o resultado do seu triunfo, que era a prisão do rei Agague e as melhores ovelhas e vacas, e ao ser inquirido por Samuel ele tentou se justificar com argumentos não consistentes e com desculpas esfarrapadas. Assim tentando mentir acerca dos animais foi desmascarado quando Samuel ouviu os balidos que estes faziam o que demonstrou a falsidade de Saul. Saul era muito valente e corajoso, mas diante de Samuel ele tremia de medo e nessa condição tentou colocar a culpa no povo, desculpa que não foi aceita. Ainda insistindo e se justificar disse que os animais seriam para serem sacrificados ao Senhor, argumento esse refutado, quando foi dito a ele que Deus queria obediência em cumprir as suas ordens na íntegra e não aquele sacrifício. O que Deus queria era o total extermínio no campo de batalha, que seriam o holocausto aceitável por Ele.
1 – UM UNGIDO DE DEUS QUE CONFIA EM SÍ MESMO NÃO DETERÁ SUA RUÍNA.
1 Samuel 15.17 – E disse Samuel: Porventura, sendo tu pequeno aos teus olhos, não foste por cabeça das tribos de Israel? E o SENHOR te ungiu rei sobre Israel. 1 Samuel 15.18 – E enviou-te o SENHOR a este caminho e disse: Vai, e destrói totalmente a estes pecadores, os amalequitas, e peleja contra eles, até que os aniquiles.
Quantos não são assim como Saul. Começam o seu ofício com permissão de Deus, com toda humildade, sem elevadas pretensões, isso aparentemente, mas com o tempo as coisas podem mudar quando alguém não corresponde a sua elevada posição. Isso pode acontecer quando o orgulho e a soberba passam a fazer parte do indivíduo, as quais são notórias no seu comportamento diário, principalmente quando ousa desobedecer às ordens determinadas por Deus. Se Deus nos coloca numa posição elevada, Ele espera de nós estrita obediência a tudo que corresponde ao nosso ofício e aquele que não age corretamente em questões sérias e usa de enganos, não pode permanecer mais na sua posição. Toda obra que Deus nos comissiona a fazer para Ele, é honrosa, mas é preciso entender que em tudo a nós atribuídos exige-se compromisso de obediência irrestrita, para que a nossa recompensa aconteça. Nunca devemos nos considerar superiores aos outros, pois Jesus disse que aquele que quer ser o maior, busque ser o menor, pois quem age assim demonstra a autêntica humidade agradável a Deus.
2 – É REPREENSÍVEL QUEM QUER JUSTIFICAR SEUS ERROS CULPANDO OUTROS.
1 Samuel 15.19 – Por que, pois, não deste ouvidos à voz do SENHOR? Antes, voaste ao despojo e fizeste o que era mal aos olhos do SENHOR. 1 Samuel 15.20 – Então, disse Saul a Samuel: Antes, dei ouvidos à voz do SENHOR e caminhei no caminho pelo qual o SENHOR me enviou; e trouxe a Agague, rei de Amaleque, e os amalequitas destruí totalmente; 1 Samuel 15.21 – mas o povo tomou do despojo ovelhas e vacas, o melhor do interdito, para oferecer ao SENHOR, teu Deus, em Gilgal.
Não podemos demonstrar insensibilidade diante de uma ordem direta vinda de Deus interpretando os seus mandamentos conforme seja do nosso agrado pessoal contrastando com o que nos foi determinado. Quando isso acontece em momento oportuno isso nos será cobrado por Deus e nesse caso não haverá argumentação justificável que Ele possa acolher. Temos que assumir as nossas culpas sempre nos escudando nas misericórdias divinas e jamais tentar nos justificar lançando a culpa sobre outras pessoas, pois Deus nos conhece no oculto e no profundo para se deixar enganar, pois a Deus ninguém engana.
3 – A OBEDIÊNCIA QUE DEUS ACEITA É O CUMPRIR FIELMENTE SUAS ORDENS.
1 Samuel 15.22- Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. 1 Samuel 15.23 – Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.
Um dos aspectos da fé religiosa na sua autenticidade se caracteriza quando está centrada objetivamente na obediência à vontade de Deus. Portanto a obediência é prioritária e não pode ser invertida quando se tenta realizar um sacrifício na tentativa de ofuscá-la, pois isso vem caracterizar um ato de rebelião contra o Senhor Deus entendendo que rebelião está enquadrada na mesma condição de um pecado de feitiçaria. Nos sacrifícios oferecidos pelo homem a Deus, sendo estes intentados com algum propósito em benefício próprio e sendo assim divergente da vontade de Deus terá indubitavelmente a Sua rejeição imediata. Qualquer sacrifício oferecido a Deus só será aceito na condição de obediência a Sua vontade.
4 – OS DESCASOS COM ÁS ORDENS DE DEUS NUNCA FICARÁ NA IMPUNIDADE.
1 Samuel 15.24 – Então, disse Saul a Samuel: Pequei, porquanto tenho traspassado o dito do SENHOR e as tuas palavras; porque temi o povo e dei ouvidos à sua voz.
A nossa vontade não pode entrar em contraste com a vontade divina, pois a partir do momento que entramos e aceitamos a condição de servo passamos a nos reportar a um único Senhor e não podemos ser mais senhor de nós mesmos. Um líder não pode em hipótese alguma estar fazendo a vontade do povo, pois isso é um sinal de fraqueza, ou de uma submissão intentada para habilidosamente usufruir de proveitos próprios. Quem não tem temor e tremor de Deus certamente já está com a mente cauterizada e as suas ações não envolvem qualquer preocupação em fazer o que é certo. O temos do Senhor como diz a palavra é o princípio da sabedoria e os que cumprem o seu propósitos revelam ter bom senso, o qual é essencial para estarmos enquadrados na vontade suprema de Deus.
5 – QUANDO DEUS CONDENA UM ATO DE REBELIÃO NÃO HÁ MEIO DE REVERTER.
1 Samuel 15.25 – Agora, pois, te rogo, perdoa-me o meu pecado e volta comigo, para que adore o SENHOR. 1 Samuel 15.26 – Porém Samuel disse a Saul: Não tornarei contigo; porquanto rejeitaste a palavra do SENHOR, já te rejeitou o SE-NHOR, para que não sejas rei sobre Israel. 1 Samuel 15.27- E, virando-se Samuel para se ir, ele lhe pegou pela borda da capa e a rasgou. 1 Samuel 15.28 – Então, Samuel lhe disse: O SENHOR tem rasgado de ti hoje o reino de Israel e o tem dado ao teu próximo, melhor do que tu.
Deus pode dar ofícios de responsabilidade ao homem, os quais na realidade são privilégios recebidos não porque merecemos, mas sim exclusivamente dados pela sua maravilhosa graça. Porém, a manutenção desses privilégios é condicional a uma obediência fiel no ofício por Ele designado. A possibilidade de perdão por ações em atitudes de desobediência que venham se traduzir em pecado de rebelião, pode até acontecer, mas desde que ao ser inquirido pelo seu ato errôneo não venha com dissimulações tentando encobrir o seu erro. Quando o cristão comete pecado, para que possa alcançar o perdão divino, primeiramente ele deve reconhecer que errou e assumir individualmente a sua culpa com confissão sem qualquer tipo de alegação. Porém quando não há qualquer sentimento de se consertar, o que resta é cair no juízo de Deus, o qual será implacável de acordo com a lei da semeadura e da colheita.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel