Davi é Ungido Rei

Davi é Ungido Rei
Lição 7: 17 de Novembro de 2019
Texto Áureo: “Então, Samuel tomou o vaso do azeite e ungiu-o no meio dos seus irmãos; e, desde aquele dia em diante, o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi. Então, Samuel se levantou e se tornou a Ramá.” (1 Sm 16.13)
Leitura Bíblica em Classe: 1 Samuel 16.1-13

Introdução: Já havia sido predito desde cedo que o reinado de Saul não teria vida longa, isto porque, ele não corresponderia à vontade divina, por ter se levado pela soberba e o mais grave, que foi a desobediência. Dada essas circunstâncias o seu reinado que não era da vontade soberana de Deus, seria substituído por alguém que não fazia parte da sua família, a qual não teria continuidade nesse reino como normalmente acontecia no sistema monárquico. O reinado então passaria para a linhagem de Davi, o qual se perpetuaria, visto que o Messias faria parte dessa linhagem. O sistema monárquico que começou com Saul foi continuamente cheio de intrigas; injustiças; desobediências e problemas que não agradaram a Deus. Agora a monarquia seguiria com um rei segundo o coração de Deus, ou seja, com Davi, o qual reinaria sempre cumprindo sempre a perfeita vontade do Senhor.
1. Quando Deus manda substituir quem ele rejeita, não fique com dó do rejeitado.
1 Samuel 16.1 – Então, disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche o teu vaso de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
Quando alguém não faz jus à confiança de Deus, movido por orgulho; soberba e desobediência entra certamente no caminho da rejeição e quando isso se efetiva, não tem mais retorno e deve ser substituído do seu ofício. Foi o que aconteceu com o rei Saul, o qual em várias tentativas dissimuladas tentou se justificar diante de Samuel o representante de Deus. (Provérbios 29:23 O orgulhoso sempre acabará sendo grandemente humilhado; em contraste, chegará o dia em que o humilde receberá honra e glória).
2. O Senhor é o nosso protetor e não devemos temer o que possa fazer o homem.
1 Samuel 16.2 – Porém disse Samuel: Como irei eu? Pois, ouvindo-o Saul, me matará. Então, disse o SENHOR: Toma uma bezerra das vacas em tuas mãos e dize: Vim para sacrificar ao SENHOR.
O medo que muitos têm de substituir alguém que Deus rejeita implica nas consequências de uma retaliação que o rejeitado pode revidar. Porém quando é Deus que ordena isso, não há o que temer, pois Ele nos dá as garantias protetivas para tudo ser bem sucedido. (Josué 1:9 Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.).
3. É sábio ter Deus no comando, para que as missões que Ele nos dá tenham êxito.
1 Samuel 16.3 – E convidarás Jessé ao sacrifício; e eu te farei saber o que hás de fazer, e ungir-me-ás a quem eu te disser.
Muitos querem se candidatar ao exercício de liderança e acabam conseguindo por conta própria sem procurar saber se está enquadrado na vontade de Deus. Quantos homens e mulheres em nossos dias estão sendo separados para exercer funções de liderança pela iniciativa do próprio homem, sem chamada divina ou qualquer qualificação para tal. É muito perigoso quando um líder separa alguém sem ter a certeza do aval divino. (I Timóteo 5.22 A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro).
4. É prudente ter boas relações com os profetas de Deus com temor na sua palavra.
1 Samuel 16.4 – Fez, pois, Samuel o que dissera o SENHOR e veio a Belém. Então, os anciãos da cidade saíram ao encontro, tremendo, e disseram: De paz é a tua vinda? 1 Samuel 16.5 – E disse ele: É de paz; vim sacrificar ao SENHOR. Santificai-vos e vinde comigo ao sacrifício. E santificou ele a Jessé e os seus filhos e os convidou ao sacrifício.
Missões que podem gerar conflitos é preciso ter prudência no trato com outrem. Samuel entendia o temor dos anciãos com a sua presença naquela cidade, mas este tinha experiência suficiente para lidar com a situação encontrada. Quem vem para sacrificar deve vir de uma maneira pacífica e isso foi o que fez o mensageiro de Deus dando tranquilidade a todos que estavam atemorizados com a sua presença. (Quem recebe um profeta na qualidade de profeta, receberá a recompensa de profeta; e quem recebe um justo na qualidade de justo, receberá a recompensa de justo.)
5. Não se pode qualificar alguém para uma liderança por um simples exame visual.
1 Samuel 16.6 – E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe e disse: Certamente, está perante o SENHOR o seu ungido. 1 Samuel 16.7 – Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.
Não se separa alguém para exercer uma liderança, apenas com um simples exame visual, pois quando se trata de uma escolha para um ofício na obra, a aparência não conta. Muitos líderes escolhem pessoas para exercerem funções na obra pela aparência exterior do indivíduo, ou por outros fatores que não são a condição necessária para tal função. Samuel estava errando em suas escolhas nas apresentações dos filhos de Jessé, pois estava olhando somente para o exterior daqueles homens.
6, Os desocupados que querem exercer uma liderança não terão aprovação divina.
1 Samuel 16.8 – Então, chamou Jessé a Abinadabe e o fez passar diante de Samuel, o qual disse: Nem a este tem escolhido o SENHOR. 1 Samuel 16.9 – Então, Jessé fez passar a Samá, porém disse: Tampouco a este tem escolhido o SENHOR. 1 Samuel 16.10 – Assim, fez passar Jessé os seus sete filhos diante de Samuel; porém Samuel disse a Jessé: O SENHOR não tem escolhido estes.
Os critérios nas escolhas de Deus para alguém ser um líder, não são contados idade, posição financeira, honra primogenitura e outros atributos exteriorizados; e Samuel estava vendo as coisas por esse lado, mas o Senhor não segue essas regras. A soberania de Deus deve estar presente nesse critério, pois aos olhos dos homens os que parecem mais promissores para um ofício são os que na realidade não são e se houver insistência da parte do homem na escolha, estará indo contra a vontade de Deus. Todos os filhos de Jessé se candidataram ao cargo, mas geralmente os que se oferecem podem ter a aprovação do homem, mas não a aprovação de Deus. Nos critérios divinos, Ele escolhe aqueles que aos olhos dos homens não parece ser o mais promissores.
7. Quando Deus quer exaltar alguém que é desprezado ninguém o poderá esconder.
1 Samuel 16.11- Disse mais Samuel a Jessé: Acabaram-se os jovens? E disse: Ainda falta o menor, e eis que apascenta as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Envia e manda-o chamar, porquanto não nos assentaremos em roda da mesa até que ele venha aqui.
Deus tem prazer em honrar o tipo de pessoa que os outros não lhe dão a menor importância e isso se passava na casa de Jessé, o pai de Davi. Os talentos que Deus quer, muitas vezes ficam ignorados por aqueles que almejam e forçam ter uma posição, mas não tem o devido talento para isso. Deus julga as pessoas pelo coração e não pela vivacidade e disposição apresentadas por alguém, pois isso não é relevante para o Senhor que não se deixa impressionar por essas qualificações. O que Deus procura em alguém que Ele quer usar é a boa disposição do coração e a santidade, virtudes essas que qualificam alguém para um ofício de liderança.
8. A unção só tem efeitos de poder espiritual quando tudo está na direção divina.
1 Samuel 16.12- Então, mandou em busca dele e o trouxe (e era ruivo, e formoso de semblante, e de boa presença). E disse o SENHOR: Levanta-te e unge-o, porque este mesmo é. 1 Samuel 16.13 – Então, Samuel tomou o vaso do azeite e ungiu-o no meio dos seus irmãos; e, desde aquele dia em diante, o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi. Então, Samuel se levantou e se tornou a Ramá.
Quantos talentos estão sendo ocultados por líderes sem visão espiritual, ou mesmo por preocupação que esse talento venha ofuscar a sua liderança medíocre. Várias lideranças não valorizam aqueles que podem ser de grande valor para a obra de Deus, simplesmente por ignorância ou discernimento dando mais preferencia aos que ele quer e não aos que verdadeiramente são merecedores e agindo assim, vão contra a vontade de Deus. Mas o que Deus elege, não adianta o homem esconder, pois Ele se agrada em honrar aqueles que têm o talento necessário para atender os seus propósitos. Quando Deus quer exaltar alguém, ninguém poderá impedir e os seus opositores serão envergonhados. Só os escolhidos por Deus para determinado ofício é que recebem a verdadeira unção para terem em si, a plenitude do Espírito Santo.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel