As Consequências do Pecado de Davi

As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 – 15 de Dezembro de 2019
Texto Áureo: 2 Samuel 12.10 Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para que te seja por mulher.
Leitura Bíblica em Classe: 2 Samuel 12.1-15
Introdução: O pecado de Davi lhe trouxe muitas consequências espirituais, pois mesmo ainda quando o mantinha oculto, certamente estava com o coração incomodado, como também interiormente irrequieto, pois essa é uma reação de todos que tenham um mínimo de sentimento e temor de Deus. Podemos imaginar o quanto foi duro para ele, o distanciamento de Deus, pois com a insistência de esconder o pecado, ele mesmo promoveu esse afastamento sabendo que Deus não compactua com os que praticam a maldade. A comunhão com Deus interrompida já era o começo de um duro castigo entre os outros que viriam a seguir. (Porque eu declararei a minha iniqüidade; afligir-me-ei por causa do meu pecado. Salmos 38:18).

  1. Nada pode ficar oculto aos olhos de Deus que não venha a ser revelado.
    2 Samuel 12.1 E O SENHOR enviou Natã a Davi; e, apresentando-se ele a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre. 2 O rico possuía muitíssimas ovelhas e vacas. 2 Samuel 12.3 Mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; e ela tinha crescido com ele e com seus filhos; do seu bocado comia, e do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha. 2 Samuel 12.4 E, vindo um viajante ao homem rico, deixou este de tomar das suas ovelhas e das suas vacas para assar para o viajante que viera a ele; e tomou a cordeira do homem pobre, e a preparou para o homem que viera a ele.
    A intenção de Deus através dessa parábola era para que Davi ficasse atraído pela história relatada sem saber que ele era o próprio personagem. Era uma forma de refrescar a memória de Davi ilustrando algo parecido com o que ele se envolveu, onde se afundou em uma coisa horrenda aos olhos de Deus. Certamente ele procurava de todas as formas tentar esquecer o mal praticado, mas não pensou que Deus de nada se esquece e tem os seus meios para que um dia seja revelado. E mais ainda, pois Davi como rei também era juiz e Deus apresentou a ele essa história para que desse o veredito sobre o homem rico, que se tratava dele próprio. Assim ele mesmo daria a sentença segundo o ato abominável que o homem rico praticara e, esse veredito dado por ele, era o que ele mesmo merecia conforme a lei. Quando erramos e não vamos a Deus para acertar as contas com Ele, é certo que Ele virá no momento oportuno ao nosso encontro. (Marcos 4.22 Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia.).
  2. Julgar o pecado dos outros é fácil, duro é ter que julgar a si próprio.
    2 Samuel 12.5 Então o furor de Davi se acendeu em grande maneira contra aquele homem, e disse a Natã: Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso. 2 Samuel 12.6 E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa, e porque não se compadeceu.
    Davi sem saber ser o próprio personagem ficou furioso e deu o seu veredito, o qual seguiria os rigores da lei mosaica. A lei mosaica determinava a morte do culpado em casos abomináveis similares a qual Davi praticou. O furor de Davi com o homem rico, que se tratava dele mesmo sem saber era o que Deus estava sentindo para com ele, pelo seu ato repreensível e abominável. Como diz a escritura: com a medida com que julgares, também sereis julgados e a medida sentenciada por Davi contra o homem rico era na realidade contra ele mesmo. Agora Davi como rei e como juiz para julgar esse caso e impor o castigo segundo a lei é lógico que não iria se condenar a si próprio, mas contudo mesmo não se condenado a si próprio não iria escapar do juízo divino. (Mt 7:1 Não julgueis, para que não sejais julgados).
  3. Quem aponta o erro dos outros, ignora que os seus pode ser apontado.
    2 Samuel 12.7 Então disse Natã a Davi: Tu és este homem. Assim diz o Senhor Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel, e eu te livrei das mãos de Saul; 2 Samuel 12.8 E te dei a casa de teu senhor, e as mulheres de teu senhor em teu seio, e também te dei a casa de Israel e de Judá, e, se isto é pouco, mais te acrescentaria tais e tais coisas.
    Davi inconscientemente acabou por julgar a si mesmo dando o seu veredito sobre o caso e estava tão focado na narrativa do profeta que não percebeu que toda a história que ouvia era pertinente a ele. Davi tinha oito esposas e isso significa que a sua traição não foi por falta de mulher e sim por um desejo desenfreado de possuir o que lhe era proibido. Vivia debaixo das promessas divinas, tudo que ele pedisse ao Senhor, lhe seria acrescentado, mas não vigiou contra as astutas ciladas do Diabo e acabou caindo feio em uma delas. ( (Mateus 7.3 Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio?).
  4. O desprezo pela palavra pode levar alguém a fazer coisas abomináveis.
    2 Samuel 12.9 Porque, pois, desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o mal diante de seus olhos? A Urias, o heteu, feriste à espada, e a sua mulher tomaste por tua mulher; e a ele mataste com a espada dos filhos de Amom. 2 Samuel 12.10 Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste, e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher.
    Embora Davi tenha usado pessoas para agir em suas tramas, isso não o isentaria de culpa e mesmo com a participação de outros em ferir Urias pela espada dos amonitas, agora Deus faria a espada se levantar contra a sua própria casa. Davi como do judeu tinha conhecimento da lei mosaica e partir do dia em que foi instituída, o pecado passou a ser imputado e nesse caso todas as sequenciais transgressões cometidas por ele seriam lançadas na sua conta. Quem planeja uma maldade e a ordena é tão culpado quanto os que a executa e Deus não tem o culpado por inocente. Desprezar a palavra é como desprezar o próprio Deus. (Provérbios 13:13 O que despreza a palavra de Deus virá a perder-se, mas o que respeita os seus mandamentos será bem sucedido).
  5. Quem semeia o mal contra alguém vai colher e não tem como escapar.
    2 Samuel 12.11 Assim diz o Senhor: Eis que suscitarei da tua própria casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres perante este sol. 2 Samuel 12.12 Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei este negócio perante todo o Israel e perante o sol.
    Davi usou de todos os meios ilícitos para ocultar o pecado, mas como nada fica oculto aos olhos de Deus, um dos castigos que ele sofreria. seria realizado em praça pública aos olhos de todos. Nesse caso as suas mulheres seriam possuídas pelo seu próximo, ou seja, o seu próprio filho Absalão. Esse castigo foi uma forma de Deus mostrar a todos, o quanto Ele odeia o pecado dentre o seu povo, nunca deixará que fique impune. (Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Gálatas 6:7);
  6. O pecado é perdoado pela confissão, mas tem as suas consequências.
    2 Samuel 12.13 Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. E disse Natã a Davi: Também o Senhor perdoou o teu pecado; não morrerás. 2 Samuel 12.14 Todavia, porquanto com este feito deste lugar sobremaneira a que os inimigos do Senhor blasfemem, também o filho que te nasceu certamente morrerá. 2 Samuel 12.15 Então Natã foi para sua casa; e o Senhor feriu a criança que a mulher de Urias dera a Davi, e adoeceu gravemente.
    Foi diante de uma confissão penitente que foi assegurado a Davi, que o seu pecado foi perdoado. Deus em resposta a confissão de Davi permitiu que ele vivesse, mas haveria consequências sofríveis que passaria em relação aos seus filhos e o primeiro foi a criança que a mulher de Urias lhe dera, a qual adoeceu gravemente até a morte. A espada de Davi embora após o perdão estivesse limpa, ainda havia sangue em suas mãos, sangue esse que persistiu por todos os dias da sua vida. O estupro de Amnon com Tamar, sua meia irmã; as mortes de Amnom por Absalão. A perda provisória do reino para Absalão e a morte de Absalão. e na apropriação pública das concubinas de Davi por Absalão e Adonias que tentou tomar o trono após a morte de Davi e foi morto por ordem de Salomão. Quanto mais se tenta ocultar o pecado, mais grave será as consequências. Diante dos castigos impostos sobre a sua família, Davi podia refletir com contrição que cada desgraça era consequência do seu ato irracional. (Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Salmos 51:3).
    Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Deixe um comentário